domingo, 30 de setembro de 2012

Reinventei o Livro


Um por um
recolhi os despojos
dos sonhos que rasguei

paginei o livro
que reinventei
nas areias que outrora esculpimos
tu e eu num só
em madrugadas
de ouro e azul

renascerei na alba
que a tua voz inaudível
me anuncia

transbordando
de um leito clandestino
onde
de novo
os nossos rios ousarão correr.

Sem comentários:

Enviar um comentário