terça-feira, 9 de outubro de 2012

A Dor Que Me Dói


Não se sente na carne
a dor que me dói.

Tem a forma de um rosto
feito de pele negra
da terra, da fome, da guerra.

Cabe na mão
que o desespero encerra.

Quer saber o Deus
que a outros não diz não.

Aperta os lábios
que querem sorrir.

Atira para longe
o sono e o sonho.

Parte em viagens
sem regresso.

Partilha solidões
sem saudade.

Sem comentários:

Enviar um comentário