domingo, 28 de agosto de 2016

Ciclos


As idades dissiparam-se em silêncios
dentro das molduras que sorriem
na prateleira
da lareira.
Limpo na cinza acumulada
a descrença no recomeço dos ciclos
e sopro o tempo
em espirais de vultos imortais.


B.
02.01.10

Sem comentários:

Enviar um comentário